Mapa perceptual no contexto empresarial: aspectos relevantes para a sua elaboração

Luiza Venzke Bortoli, Alan Birck

Resumo


Em um ambiente competitivo, torna-se indispensável posicionar-se melhor do que os concorrentes a fim de manter-se no mercado. O mapa perceptual é uma técnica que auxilia na visualização da posição que uma empresa ocupa no mercado em que está inserida. Os benefícios gerados por essa técnica já são vastamente difundidos no mercado consumidor, mas podem auxiliar executivos em tomadas de decisão a respeito do posicionamento de produtos e serviços no mercado industrial (B2B). Esta pesquisa tem por objetivo ressaltar aspectos relevantes a serem considerados na elaboração do mapa perceptual no contexto empresarial.

Para verificar a aplicação do mapa perceptual no B2B, foi escolhida uma empresa, cujo principal serviço era o inventário de mercadorias, que presta serviços a outras empresas, em especial varejistas. Para a elaboração do mapa, detectou-se dois atributos relevantes: a percepção sobre o custo do inventário para a empresa contratante; e a percepção sobre a contribuição estratégica do inventário para a gestão da empresa. Ao analisar as percepções dos profissionais quanto aos atributos, verificou-se diferenças decorrentes do setor em que trabalham, indicando que o pesquisador não deve estar restrito ao setor responsável pelo serviço analisado, mas deve obter uma visão ampla do funcionamento organizacional. Com o melhor entendimento da dinâmica organizacional da empresa contratante, a empresa prestadora de serviço pode construir sua proposta de valor para um serviço, posicionando-o de acordo com as percepções do mercado, obtendo maior vantagem competitiva.

Como resultado deste estudo, sugere-se que, ao desenvolver o mapa perceptual para o B2B, o pesquisador atente-se para os seguintes pontos: i) setor em que o respondente da pesquisa trabalha; ii) presença de setores diretamente ligados ao serviço analisado ; iii) setores que possam dialogar frequentemente com o responsável pelo serviço em foco; iv) definição dos atributos mais importantes à contratação do serviço ou produto analisado; v) consistência das escalas para avaliação dos atributos; vi) entendimento da dinâmica organizacional interna da empresa contratante. Conclui-se que, desde que observados os aspectos apresentados por esta pesquisa, o mapa perceptual configura uma ferramenta apropriada para o mercado industrial, consistindo num instrumento de auxílio para a tomada de decisão nesse ambiente. 


Palavras-chave


Mapa perceptual. Mercado industrial. Marketing de serviços. Pesquisa de Marketing.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Arli, D., & Cadeaux, J. (2017). Understanding external and cascading benefits for HIV/AIDS control in a subsistence marketplace: insights from Indonesia. Journal of Public Policy & Marketing, 36(1), 117-136.

Assael, H. (1971). Perceptual mapping to reposition brands. Journal of Advertising Research, 11(1), 39-42.

Ballou, R. H. (1992). Business logistic management (3rd ed.). New Jersey, USA: Prentice-Hall.

Baran, T. (2016). Positions of mobile phone brands on university students’ mind. International Journal of Sustainable Economies Management, 5(1), 18-27.

Biggadike, E. R. (1981). The contributions of marketing to strategic management. Academy of Managment Review, 6 (4), 621-632.

Blattberg, R. C., & Sen, S. K. (1974). Market segmentation using models of multidimensional purchasing behavior. Journal of Marketing, 38(4), 17-28.

Borg, I., & Groenen, P. (1997). Modern multidimensional scaling: theory and applications. New York: Springer-Verlag.

Brochado, A., Silva, R. V., & LaPlaca, P. (2015). Assessing brand personality associations of top-of-mind wine brands. International Journal of Wine Business Research, 27(2), 125-142.

Carter, J. R., Maltz, A., & Yan, T. (2008). How procurement managers view low cost countries and geographies: a perceptual mapping approach. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, 38(3), 224-243.

Cravens, D. W. (1997). Strategic marketing (5a ed.). Chicago: Irwin.

Das, J. K., Prakash, O., & Khattri, V. (2016). Brand image mapping: a study on bathing soaps. Global Business Review, 17(4), 1-16.

Davis, M., Aquilano, N., & Chase, R. (2001). Fundamentos da administração da produção. Porto Alegre: Bookman.

Day, R. L., & Herbig, P. A. (1990). How diffusion of industrial innovations is different from new retail products. Industrial Marketing Management, 19(3), 261-266.

Festervand, T. A. (2004). Industrial recruitment and economic development: a comparative analysis of competing south-eastern cities using perceptual mapping. Journal of Business & Industrial Marketing, 19(7), 460-468.

Ghose, S. (1994). Visually representing consumer perceptions: issues and managerial insights. European Journal of Marketing, 28(10), 5-18.

Giraldi, J. M. E., & Liboni, L. B. (2004). Mapa perceptual: uma ferramenta para gerenciamento do posicionamento de marcas. Anais do Congresso Virtual Brasileiro - Administração, São Paulo, SP, Brasil, 1.

Green, P. E., & Rao, V. R. (1972). Applied multidimensional scaling. New York: Holt, Rinehart & Winston.

Greenacre, M. J., & Hastie, T. (1987). The geometric interpretation of correspondence analysis. Journal of the American Statistical Association 82(398), 437-477.

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise Multivariada de Dados. Porto Alegre: Bookman.

Hair, J. F., Babin, B. J., Money, A. H., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Hauser, J. R., & Koppelman, F. S. (1979). Alternative perceptual mapping techniques: relative accuracy and usefulness. Journal of Marketing Research, 16(4), 495-506.

Honnalli, S. H. (2011). An overview of industrial marketing. Advances in Management, 4(11), 64-65.

Johnston, W. J., & Bonoma, T.V. (1981). The buying center: structure and interaction patterns. Journal of Marketing, 45(2), 143-156.

Kohli, C. S., & Leuthesser, L. (1993). Product positioning: a comparison of perceptual mapping techniques. The Journal of Product and Brand Management, 2(4), 10-18.

Lee, C. W., & Liao, C. S. (2009). The effects of consumer preferences and perceptions of Chinese tea beverages on brand positioning strategies. British Food Journal, 111(1), 80-96.

Lehmann, D. R. (1972). Judged similarity and brand-switching data as similarity measures. Journal of Marketing Research, 9(3), 331-334.

Lewin, J. E., & Bello, D. C. (1997). Marketing innovative technology to institutional buyers in educational settings. Journal of Business & Industrial Marketing, 12(1), 7-21.

Mackay, D. B., & Easley, R. F. (1996). International differences in product perception: a product map analysis. International Marketing Review, 13(2), 54-62.

Malhotra, N. (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada (4a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Moore, W. L., & Lehmann, D. R. (1982). Effects of usage and name on perceptions of new products. Marketing Science, 1(4), 351-370.

Pinto, A. J. (2003). Diagnóstico da política de inventário e a sua importância para a administração estratégica da manufatura. Dissertação de mestrado, Universidade de Taubaté, Taubaté, São Paulo.

Ries, A. R., & Trout, J. (1995). Posicionamento: a batalha pela sua mente. São Paulo: Pioneira.

Sinclair, S. A. (1990). Perceptual mapping: a tool for industrial marketing: a case study. Journal of Business & Industrial Marketing, 5(1), 55-66.

Skinner, W. (1986, jul./aug.). The productivity paradox. Harvard Business Review, 55-59.

Steenkamp, J-B. E. M., Van Trijp, H. C. M., & Ten Berge, J. M. F. (1994, February). Perceptual mapping based on idiosyncratic sets of attributes. Journal of Marketing Research, 31, 15-27.

Toledo, G. L., Giraldi, J. M. E., & Prado, K. P. L. A. (2007). Mapa perceptual de marcas próprias: uma investigação das principais marcas de grandes redes supermercadistas no Brasil. Revista de Gestão USP, 14(4), 77-92.

Wong, Y. H., & Tam, J. L. M. (2000). Mapping relationships in China: guanxi dynamic approach. Journal of Business & Industrial Marketing, 15(1), 57-70.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v7n1p230-249

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.