Pilares de uma Organização de Aprendizagem: Estudo em um Câmpus Universitário

Francisco João de Deus de Carvalho, Sidneia Maia de Oliveira Rego

Resumo


Trata-se de uma pesquisa exploratória, que procurou identificar os pilares que caracterizam uma Organização de Aprendizagem (OA) em um Câmpus Universitário em processo de implantação, situado em Pau dos Ferros/RN. A instituição surgiu a partir de uma política nacional de desenvolvimento e expansão do ensino superior, o REUNI, e inserida na região do semiárido, essa instituição, ainda bastante jovem, busca sua plena implementação e consolidação. Foi realizado um levantamento com todos os servidores da instituição e uma entrevista com o diretor, e os dados foram analisados através de estatística descritiva e análise de conteúdo. Percebeu-se que a efervescência e a mudança são características visíveis nesta instituição no momento. Esse contexto de criação, implementação e desejo de consolidação criam uma maior integração do grupo, apontada como visão compartilhada, uma das cinco disciplinas de uma Organização Aprendente, na visão de Peter Senge.

Palavras-chave


Aprendizagem Organizacional; Organização Aprendente; Instituição Pública.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Antonello, C. S. (2011). Saberes no singular? Em discussão a falsa fronteira entre aprendizagem formal e informal. In C. S. Antonello, & A. S. Godoy (Org.). Aprendizagem Organizacional no Brasil (pp. 225-245). Porto Alegre: Bookman.

Barbosa, D. M. C., Almeida, E. F., Bampi, L., Gonçalves, R. N., Pinheiro, T. C. P. R., & Teixeira, V. A. (2003). A aprendizagem organizacional otimizando resultados do Tribunal de Contas da União. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 24 fev. 2014 de http://portal2.tcu.gov.br/portal/pls/portal/docs/2054436.PDF

Bastos, A. V. B., Gondim, S. M. G., & Loiola, E. (2004). Aprendizagem organizacional versus organizações que aprendem: características e desafios que cercam essas duas abordagens de pesquisa. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 39(3), 220-230.

Bitencourt, C. (2010). Aprendizagem organizacional: uma estratégia para mudança? In C. Bitencourt (Org.). Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais (2a ed., pp.17-30). Porto Alegre: Bookman.

Boff, L. H., & Antonello, C. S. (2011). Descaminhos: aprendizagem e conhecimento organizacional versus organizações que aprendem e gestão do conhecimento. In C. S. Antonello, & A. S. Godoy (Org.). Aprendizagem Organizacional no Brasil (pp. 183-198). Porto Alegre: Bookman.

Camillis, P. K. (2011). Os saberes no plural: um estudo acerca dos processos de aprendizagem dos trabalhadores que não exercem um papel gerencial. In C. S. Antonello, & A. S. Godoy (Org.). Aprendizagem Organizacional no Brasil (pp. 272-299). Porto Alegre: Bookman.

Fernandes, C. B. (2008). Aprendizagem organizacional como um processo para alavancar o conhecimento nas organizações. In M. T. Angeloni (Org.). Organizações do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologia (2a ed., pp. 135-152). São Paulo: Saraiva.

Fleury, A., & Fleury, M. T. L. (2010). Aprendizagem e Inovação Organizacional: as experiências de Japão, Coreia e Brasil (2a ed.) São Paulo: Atlas.

Santana, S. (2005). Modelo integrado para o estudo da aprendizagem organizacional. Análise Social, 11(175), 367-391.

Schiarantolla, A. M. F. (2008). Aprendizagem Organizacional e Cultura de Aprendizagem nas Instituições de Ensino Superior Privadas: um estudo de caso numa IES tecnológica de Fortaleza. Dissertação de Mestrado, Universidade de Fortaleza. Fortaleza, CE, Brasil.

Senge, P. M. (2006). A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende (22a ed.) Rio de Janeiro: Best Seller.

Shein, E. H. (2009). Cultura Organizacional e liderança. São Paulo: Atlas.

Takahashi, A. R. W., & Fischer, A. L. (2008). Descortinando os processos de Aprendizagem Organizacional no desenvolvimento de competências em Instituições de Ensino Superior. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Teodoro, C. S., & Ottoboni, C. (2005). Análise e conceituação de organizações que aprendem e aprendizado organizacional – um estudo de caso. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, RJ, Brasil, 3.

Vasconcelos, I. F. G., & Mascarenhas, A. O. (2007). Organizações em Aprendizagem (1a ed.) São Paulo: Thomsom.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2017.v7i2.1557

Apontamentos





Direitos autorais 2017 Francisco João de Deus de Carvalho, Sidneia Maia de Oliveira Rego

Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED Business School – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Vila Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo/RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.