A intenção de lealdade à universidade a partir da análise do perfil de alunos do curso de administração de uma universidade pública

Simone Portella Teixeira de Mello, Gustavo da Rosa Borges, Maria José Carvalho de Souza Domingues, Estela Mavel Acosta Figueredo, Maxuell Ramos Machado

Resumo


A lealdade de alunos pode contribuir para a existência de benefícios pessoais, sociais e institucionais. Este artigo descritivo, exploratório, quali-quantitativo apresenta as características que influenciam na lealdade de alunos do curso de Administração de uma universidade pública federal do sul do Brasil. Os resultados indicam que alunos em geral sentem-se leais, com predomínio de mulheres. Alunos de maior idade tendem e ser mais leais, assim como aqueles que estudaram em escolas públicas e nasceram em outra cidade. A lealdade varia em relação aos semestres no qual o aluno estava cursando. Os alunos estão satisfeitos com a escolha de universidade e tendem a recomendá-la para outras pessoas. O perfil do aluno pode determinar seu nível de lealdade e há possibilidade deles recomendarem sua universidade para outras pessoas, firmarem uma identidade com sua IES de origem, o que também infere novas possibilidades de ações acadêmicas para a captação e retenção de alunos.

Palavras-chave


Universidade Pública; Lealdade; Perfil de Alunos.

Texto completo:

PDF

Referências


Baptista, M. V., & de Fátima León, M. (2013). Estrategias de lealtad de clientes en la banca universal. Estudios Gerenciales, 29(127), 189-203.

Barbetta, P. A. (2006). Estatística Aplicada às Ciências Sociais. 6ª Ed. Florianópolis: Ed. UFSC.

Bandyopadhyay, S., & Martell, M. (2007). Does attitudinal loyalty influence behavioral loyalty? A theoretical and empirical study. Journal of Retailing and Consumer Services, 14(1), 35-44.

Bravin, F. H. D. A., & Ikeda, A. A. (2010). Uma Discussão sobre o composto de Marketing no Contexto Educacional. Pensamento & Realidade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração-FEA, 25(1), 79-101.

Castillo-Manzano, J. I., & López-Valpuesta, L. (2014). Living “up in the air”: Meeting the frequent flyer passenger. Journal of Air Transport Management,40, 48-55.

Chen, S. Y. (2016). Using the sustainable modified TAM and TPB to analyze the effects of perceived green value on loyalty to a public bike system. Transportation Research Part A: Policy and Practice, 88, 58-72.

De Cnudde, S., & Martens, D. (2015). Loyal to your city? A data mining analysis of a public service loyalty program. Decision Support Systems, 73, 74-84.

De Macedo Bergamo, F. V., Giuliani, A. C., & Galli, L. C. D. L. A. (2011). Modelo de lealdade e retenção de alunos para instituições do ensino superior: um estudo teórico com base no marketing de relacionamento. BBR-Brazilian Business Review, 8(2), 43-66.

Dugaich, C. (2005). Marketing de Relacionamento nas Instituições de Ensino. In.: Colombo, S. S. Marketing educacional em ação: estratégias e ferramentas. Porto Alegre: Bookman Editora.

East, R., Gendall, P., Hammond, K., & Lomax, W. (2005). Consumer loyalty: singular, additive or interactive?. Australasian Marketing Journal (AMJ), 13(2), 10-26.

Espartel, L. B., Sampaio, C. H., & Perin, M. G. (2008). O impacto do envolvimento nas relações entre confiança, valor percebido e lealdade: Um estudo em uma IES privada. Revista de Negócios, 13(2), 11-25.

Etzkowitz, H., & Leydesdorff, L. (2000). The dynamics of innovation: from National Systems and “Mode 2” to a Triple Helix of university–industry–government relations. Research policy, 29(2), 109-123.

Facó, M. H. (2005). A Essência do Marketing Educacional. In.: Colombo, S. S. Marketing educacional em ação: estratégias e ferramentas. Porto Alegre: Bookman Editora.

Fernandes, C., Ross, K., & Meraj, M. (2013). Understanding student satisfaction and loyalty in the UAE HE sector. International Journal of Educational Management, 27(6), 613-630.

Ford, J. B., Joseph, M., & Joseph, B. (1999). Importance-performance analysis as a strategic tool for service marketers: the case of service quality perceptions of business students in New Zealand and the USA. Journal of Services Marketing, 13(2), 171-186.

Franco, A. P. (2008). Ensino Superior no Brasil: cenário, avanços e contradições. Jornal de Políticas Educacionais, 2(4), 53-63.

Freund, J. E. (2006). Estatística aplicada: economia, administração e contabilidade. Porto Alegre: Bookman Editora,11ª.

Giuliani, A. C., Camargo, S. H. C. R. V., & Galli, L. C. D. L. A. (2010). A lealdade do estudante baseada na qualidade do relacionamento: uma análise comparativa dos estudantes de administração da região de Campinas com a Região de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo. Revista de Administração da Unimep-Unimep Business Journal, 8(2), 128-153.

Haddad, F. (2008). O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. MEC--Ministério da Educação, INEP--Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Hair Junior, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black, W. C. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman Editora, 5ª ed.

Helgesen, Ø., Nesset, E., & Strand, Ø. (2013). “Brain Drain” or “Brain Gain”? Students’ Loyalty to their Student Town: Field Evidence from Norway. European Planning Studies, 21(6), 909-943.

Hirschman, A. O. (1970). Exit, voice, and loyalty: Responses to decline in firms, organizations, and states (Vol. 25). Harvard university press.

Homburg, C., & Giering, A. (2001). Personal characteristics as moderators of the relationship between customer satisfaction and loyalty—an empirical analysis. Psychology & Marketing, 18(1), 43-66.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2014). Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

Jacoby, J. (1975). A brand loyalty concept: comments on a comment.Journal of Marketing Research, 12(4), 484-487.

Jacoby, J., & Kyner, D. B. (1973). Brand loyalty vs. repeat purchasing behavior. Journal of Marketing research, 1-9.

Knox, S., & Walker, D. (2001). Measuring and managing brand loyalty.Journal of Strategic Marketing, 9(2), 111-128.

Kotler, P., Fox, K. F., & Brandão, A. B. (1994). Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo: Atlas.

Labeaga, J. M., Lado, N., & Martos, M. (2007). Behavioural loyalty towards store brands. Journal of Retailing and consumer services, 14(5), 347-356.

Lee, Y. C. (2011). m-Brand loyalty and post-adoption variations for the mobile data services: Gender differences. Computers in Human Behavior, 27(6), 2364-2371.

Liu, F., Li, J., Mizerski, D., & Soh, H. (2012). Self-congruity, brand attitude, and brand loyalty: a study on luxury brands. European Journal of Marketing, 46(7/8), 922-937.

Mao, J. (2010). Customer brand loyalty. International journal of business and management, 5(7), 213.

Martins Gonçalves, H., & Sampaio, P. (2012). The customer satisfaction-customer loyalty relationship: Reassessing customer and relational characteristics moderating effects. Management Decision, 50(9), 1509-1526.

MEC. Ministério da Educação (2011). Ocupação das vagas indica a predominância das mulheres. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

Mellens, M., Dekimpe, M., & Steenkamp, J. B. E. M. (1995). A review of brand-loyalty measures in marketing.

Møller Jensen, J., & Hansen, T. (2006). An empirical examination of brand loyalty. Journal of Product & Brand Management, 15(7), 442-449.

Odin, Y., Odin, N., & Valette-Florence, P. (2001). Conceptual and operational aspects of brand loyalty: an empirical investigation. Journal of Business Research, 53(2), 75-84.

Oliver, R. L. (1999). Whence consumer loyalty?. the Journal of Marketing, 33-44.

Portal Brasil (2015). Mulheres são maioria no ingresso e na conclusão de cursos superiores. Disponível em: Acesso em: 10 jun. 2015.

Punniyamoorthy, M., & Raj, M. P. M. (2007). An empirical model for brand loyalty measurement. Journal of Targeting, Measurement and Analysis for Marketing, 15(4), 222-233.

Reichelt, V. P. (2012). Valor percebido e seu impacto na lealdade: proposição e teste de modelo quanto ao relacionamento entre as instituições de ensino superior e seus alunos. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, 5(3), 132-154.

Rowley, J., & Dawes, J. (1999). Customer loyalty-a relevant concept for libraries?. Library management, 20(6), 345-351.

Sart, G. (2014). The new leadership model of university management for innovation and entrepreneurship. Eurasian Journal of Educational Research, (57).

Touzani, M., & Temessek, A. (2009). Brand loyalty: Impact of cognitive and affective variables. The Annals of Dunarea de Jos University of Galati (Fascicle I–2009).

Tsai, Y. H. (2008). Modeling educational quality and student loyalty: a quantitative approach based on the theory of information cascades. Quality & Quantity, 42(3), 397-415.

Upamannyu, D. N. K., Gulati, C., & Mathu, G. (2014). Effect of brand trust, brand image on customer brand loyalty in fmcg sector at gwalior region.IRMJCR.

Wangenheim, F., & Bayon, T. (2004). Satisfaction, loyalty and word of mouth within the customer base of a utility provider: Differences between stayers, switchers and referral switchers. Journal of Consumer Behaviour, 3(3), 211-220.

Vergara, S. C. (2012). Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v6n2p118-132

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.