Turismo como ferramenta para a preservação do patrimônio: o caso do roteiro turístico “caminhos de pedra” em Bento Gonçalves/RS

Josiane Patrícia Talamini

Resumo


A preservação do patrimônio encara, com certa frequência, problemas relacionados ao seu reconhecimento como tal; mas também problemas de cunho econômico que, por muitas vezes, inviabilizam ações de preservação e manutenção. Assim, alternativas têm surgido em áreas de interesse patrimonial, visando tornar possível sua preservação. Uma dessas alternativas é a associação ao turismo cultural. Este artigo tem como objetivo relatar o caso do roteiro turístico “Caminhos de Pedra”, localizado na área rural do município de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. Trata-se de um roteiro turístico baseado na preservação da arquitetura, cultura e costumes das antigas colônias de imigrantes italianos. A reutilização de edifícios para fins comerciais voltados ao turismo proporcionou a melhora das condições de vida da comunidade e viabilizou a preservação do seu patrimônio e, através da educação patrimonial, o reconhecimento deste pela comunidade envolvida.

 


Palavras-chave


turismo, preservação, patrimônio, educação patrimonial, renda;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v4n1p81-88

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2318-1109

Licença Creative Commons
Este obra da Revista de Arquitetura Imed está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Indexadores

Diadorim.jpg   
  miar.png
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png