Uso de elementos de proteção solar externo no quadrilátero central de Foz de Iguaçu - PR

Egon Vettorazzi, Marcelo Langner, Odoni Antonio Ruschel Junior, Patrícia Soares Teixeira

Resumo


A radiação solar é uma importante variável no projeto arquitetônico, influenciando no conforto térmico e lumínico dos ambientes. Na arquitetura existem os elementos de proteção solar externos que regulam a quantidade da radiação solar incidente nos edifícios. Esse trabalho busca analisar de forma sucinta como foi empregado os elementos de proteção solar (brises e sacadas) nas edificações da região central da cidade de Foz do Iguaçu – PR, verificando o tipo de proteção solar e a orientação em que foram aplicados na edificações. Para isso, foi realizado levantamento in loco, onde foi analisado e fotografado as tipologias dos elementos utilizado nas fachadas das edificações de 70 quarteirões da área central da cidade. Com a pesquisa foi constatado que os elementos de proteção solar são utilizados de forma equilibrada em todas as fachadas, a fachada norte (26,7%) é a que mais utiliza e a sul que menos utiliza (23,3%) esses elementos de proteção solar. A fachada sul, apesar de não necessitar proteção solar em Foz do Iguaçu, apresenta 23,3% do uso desses elementos. Do total de elementos de proteção solar externos, se destaca a sacada com 59% de uso, e logo após os brises horizontais (21%). O brises misto e o cobogó são os menos utilizados, com apenas 5% e 3% respectivamente.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v3n1p11-20

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2318-1109

Licença Creative Commons
Este obra da Revista de Arquitetura Imed está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Indexadores

Diadorim.jpg   
  miar.png
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png