Coberturas Verdes: um cotejo entre estudo de caso e Políticas Públicas de implementação

Iásin Schäffer Stahlhöfer, Marcos Fabricio Benedetti Pereira

Resumo


As zonas urbanas das cidades brasileiras abrigam cerca de 85% da população nacional. É também neste espaço que se tem percebido com maior intensidade as consequências da degradação ambiental, como enchentes, chuvas ácidas, ilhas de calor, perda da biodiversidade local, prejuízos à saúde física e mental da população, entre outros. Cientes deste cenário, gestores públicos brasileiros têm proposto projetos de lei (municipais, estaduais e federais) com o escopo de tornar obrigatória a implementação de coberturas verdes nas edificações urbanas. O presente trabalho, utilizando-se do método de pesquisa indutivo e valendo-se de pesquisa de campo em um a residência portoalegrense na qual foi volitivamente implantada esta tecnologia construtiva visa a contribuir para o debate da obrigatoriedade da utilização de esta tecnologia com base na experiência deste usuário.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v2n1p19-24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2318-1109

Licença Creative Commons
Este obra da Revista de Arquitetura Imed está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Indexadores

Diadorim.jpg   
  miar.png
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png