Efeito do uso de microrreservatório na redução dos diâmetros das redes de microdrenagem

Sara Ceron Hentges, Rutinéia Tassi

Resumo


O desenvolvimento urbano afeta o escoamento natural das águas pluviais, tornando os sistemas de drenagem urbana insuficientes à medida que aumentam as áreas impermeabilizadas da bacia. Uma das soluções em estudo é a utilização de microrreservatórios (MRs) em lotes visto que são uma ação no combate a enchentes além de reduzir o consumo de água para fins não potáveis. No entanto, ainda não existem estudos conclusivos a respeito dos reais benefícios que o armazenamento da água da chuva tem sobre as redes de microdrenagem urbana. Portanto, esse trabalho teve por objetivo considerar a utilização e a não utilização de MRs de lotes em uma bacia urbana verificando as reduções geradas nas vazões escoadas para a rede de microdrenagem pluvial e o impacto no seu dimensionamento. Para isso, foi realizada a montagem e simulação numérica de uma bacia urbana hipotética com 194 ha, baseada em características de uma bacia real de Porto Alegre, representando de forma detalhada todos os planos de escoamento existentes em uma área urbana e os diversos segmentos da microdrenagem. Para dimensionar os MRs foi utilizado o Decreto nº 15.371 de 17 de novembro de 2006 da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Segundo os resultados obtidos, nota-se que a utilização de MRs em lotes tem grande influência no dimensionamento da rede de microdrenagem, observando-se que ocorreram reduções significativas nos diâmetros, reduzindo os volumes descarregados na rede de microdrenagem  e o pico das vazões

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v2n1p10-18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2318-1109

Licença Creative Commons
Este obra da Revista de Arquitetura Imed está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Indexadores

Diadorim.jpg   
  miar.png
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png