DESENVOLVIMENTO DE CONSÓRCIOS REGIONAIS E REDES SOCIAIS PARA O URBANISMO SAUDÁVEL

Ana Maria Girotti Sperandio, Jeannie Shoveller, Lauro Luiz Francisco Filho, Patrick Pereira

Resumo


Introdução: Envolver diferentes setores no planejamento urbano, considerar os interesses coletivos, bem como a participação social e a cooperação intersetorial tem sido premissa básica para a governança urbana,  especialmente quando envolve o desenvolvimento de espaços urbanos saudáveis. Objetivo: Descrever estudos de casos Brasileiro e Canadense que exemplificam através da capacidade coletiva e da intersetorialidade, a construção do planejamento urbano saudável. Metodologia: Descrição de dois estudos de casos. Consulta de documentos técnicos e oficiais que ressaltem a capacitação das redes sócio-técnicas e mecanismos de participação social para as políticas públicas. Identificação dos facilitadores que interfeririam na implementação do urbano saudável por meio do acompanhamento e observação dos projetos. Foram utilizados mapas de desejos da comunidade e o desenvolvimento de consórcio e rede, identificando-se os aspectos convergentes. Resultados: demonstraram a importância de facilitar as oportunidades de participação, conforme especificidades locais e na tomada de decisão dos gestores para o urbano saudável. Conclusão: consórcios e redes asseguram espaços inclusivos e promovem governança para o planejamento urbano saudável.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v2n2p96-107

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2318-1109

Licença Creative Commons
Este obra da Revista de Arquitetura Imed está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Indexadores

Diadorim.jpg   
  miar.png
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png