Aproximações entre a teoria do reconhecimento do outro e práticas pedagógicas

Carline Schröder Arend

Resumo


O presente artigo emerge a partir da percepção da importância da inclusão de discussões sobre o reconhecimento do outro no âmbito da educação. Segundo os aportes teóricos da teoria do reconhecimento do outro, de Axel Honneth, o trabalho busca possibilitar uma maior compreensão do papel do outro na formação, mostrando que, nesse movimento, quando o eu é deparado com o outro, retorna a si diferente e enriquecido de novas experiências. Assim como a teoria do reconhecimento, no âmbito educacional também se percebe a necessidade de ampliar a discussão para além do ambiente intraescolar, considerando a educação como um fenômeno social que perpassa as instâncias da família, do estado e da sociedade como um todo. Essas instâncias estão presentes na gênese da constituição educacional e, desse modo, são possibilidades que surgem para pensar e refletir sobre o operar pedagógico ancorado no reconhecimento do outro. Nesse sentido, a educação precisa se permitir lançar um olhar para fora do ambiente única e exclusivamente acadêmico e escolar. Para tal, busca-se apresentar as bases teóricas do reconhecimento do outro e suas esferas de reconhecimento, para então, estabelecer relações com as práticas pedagógicas.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação: Resolução CNE/CP Nº 1, de 18 de Fevereiro de 2002 – Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf >. Acesso em 01 nov. 2015.

BRASIL. Congresso Nacional: Lei n° 9394/1996 - Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf Acesso em 15/05/2010 >. Acesso em 01 nov. 2015.

DALBOSCO, Cláudio Almir. O cuidado como conceito articulador de uma nova relação entre Filosofia e Pedagogia. In: Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 97, p. 1113-1135, set./dez. 2006.

FLICKINGER, Hans-Georg. Senhor e escravo: uma metáfora pedagógica. In: FLICKINGER, Hans-Georg. A caminho de uma pedagogia hermenêutica. Campinas - SP: Autores Associados, 2010a. p. 123 - 137.

FLICKINGER, Hans-Georg. A dinâmica do conceito de formação (Bildung) na atualidade. In: FLICKINGER, Hans-Georg. A caminho de uma pedagogia hermenêutica. Campinas - SP: Autores Associados, 2010b. p. 177 - 193.

FLICKINGER, Hans-Georg. Herança e futuro do conceito de Bildung. In: Educ. Soc., Campinas – SP, v. 32, n. 114, p. 151 – 167, jan.-mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2015.

HEGEL, Georg W. Friedrich. Fenomenologia do Espírito. 5ª Ed. Petrópolis: RJ: Vozes: Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2008.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Trad. de Luiz Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

RAULET, Gérard. La filosofia alemana después de 1945. Tradução de Jília Climent. Valência: Universitat de Valéncia, 2009.

WERLE, Denilson Luis; MELO, Rúrion Soares. Introdução: Teoria crítica, teorias da justiça e a “reatualização” de Hegel. In: HONNETH, Axel. Sofrimento de indeterminação: uma reatualização da Filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Editora Singular, Esfera Pública, 2007. p. 7 - 44.




DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944/rebes.v1n2p25-33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN: 2447-3944

 Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Ensino Superior está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores

DOAJ.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png  
  REDIB  Diadorim.jpg
     
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png