Seus Serviços não serão mais necessários para a Empresa Abc

Ana Paula Pessotto, Rosiane Dutra Martins, Vitor Francisco Dalla Corte

Resumo


Ao assumir a gestão da área de produção do Frigorífico ABC, Marcos enfrentou um grande desafio, ganhar confiança e credibilidade dos empregados para poder exercer o seu trabalho. Após conquistar o seu espaço em meio aos empregados, Marcos estabeleceu uma relação amistosa com todos, mesmo cobrando metas e resultados, ele é visto por seus funcionários como um gestor justo e correto. Após seu primeiro ano de trabalho Marcos precisou demitir Maria, pois ela estava perdendo os movimentos da mão e para a empresa já não era mais uma funcionária produtiva. Em virtude das consequências da demissão, Maria decide processar a empresa na justiça, no entanto os três filhos de Maria ainda trabalham no frigorífico e sua atitude acaba colocando Marcos em um dilema, pois os diretores sugerem que o gestor demita os filhos de Maria, alegando que são todos “farinha do mesmo saco”. Marcos acompanha de perto o trabalho dos funcionários e sabe que os filhos de Maria são excelentes funcionários, produtivos e com boa notas nas avaliações de desempenho, porém a direção sugeriu a demissão e Marcos precisa resolver se atende a sugestão de seus superiores demitindo João, Paulo e Pedro ou não demite? Os diretores ainda nomeiam Marcos como testemunha para representar a empresa na ação trabalhista movida por Maria, mesmo sabendo que todas as práticas de gestão mencionadas no processo judicial são verdadeiras, Marcos precisará decidir se irá testemunhar a favor da empresa ou não? Este caso tem como objetivo incentivar a reflexão sobre as práticas de gestão no contexto do trabalho, podendo ser utilizado em cursos de graduação ou especialização e em disciplinas relacionadas á gestão de pessoas, teorias organizacionais e ética. Aplica-se a discussões sobre psicodinâmica do trabalho e administração científica.

Palavras-chave


Caso de Ensino

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ABPA, Associação Brasileira de Proteína Animal. Relatório Anual 2017. Disponível em: http://abpa-br.com.br/setores/avicultura/mercado-externo. Acesso em: 13 mar. 2017.

BOTTEGA, C. G.; PEREZ, K. V.; MERLO, A. R. C. Saúde mental e trabalho-uma construção histórica. Revista AMAzônica, Belem, v. 11, n. 2, p. 261-281, 2013.

BUENO, M.; MACÊDO, K. B. A Clínica psicodinâmica do trabalho: de Dejours às pesquisas brasileiras. ECOS-Estudos Contemporâneos da Subjetividade, v. 2, n. 2, p. 306-318, 2012.

CARNE e osso. Direção: Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros. Repórter Brasil, 2011. 52 min. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=imKw_sbfaf0. Acesso em: 08 ago. 2017.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho, estudo de psicopatologia do trabalho – 6.ed. São Paulo: Cortez, 2015.

DEJOURS, C. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: CHANLAT, J. F. (Org.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, p. 150-173, 1996.

DEJOURS, C; ABDOUCHELI, E; JAUET, C. Psicodinâmica do trabalho, contribuições da escola Dejouriana a analise da relação de prazer, sofrimento e trabalho – 1. ed. – 16. Reimpr. – São Paulo: Atlas, 2015.

DURANTE, D. G.; TEIXEIRA, E. B. Os limites e possibilidades de desenvolvimento humano nas teorias organizacionais. Desenvolvimento em questão. Unijuí. Ano 6, n. 11. p. 125-151, jan./jun. 2008.

FARIA, J. H.; KREMER, A. Reestruturação produtiva e precarização do trabalho: o mundo do trabalho em transformação. Revista Eletrônica de Administração, Curitiba-PR, v. 10, n. 5, p. 1-9. set-out, 2004.

FERREIRA, M. C.; MENDES, A.M. Só de pensar em vir trabalhar, já fico de mau humor”: atividade de atendimento ao público e prazer-sofrimento no trabalho. Estudos de psicologia, v. 6, n. 1, p. 93-104, 2001.

HELOANI, R; LANCMANN, S. Psicodinâmica do trabalho: o método clínico de intervenção e investigação. Revista Produção, v. 14, n. 3, p. 77-86, 2004.

MAROCHI, M. L. G. Considerações sobre modelos de produção e a psicologia do trabalho. Revista FAE, Curitiba, v.5, n.1, p.15-28, jan./abr. 2002.

MARTINS, M. da G. de H. O homem nas abordagens mecanicista da administração e no humanismo de inspiração cristã. Revista Ciências Administrativas, Fortaleza, v. 7, n. 1, p. 1-14, nov. 2001.

MENDES, A.M. Estratégias de enfrentamento do sofrimento psíquico no trabalho bancário. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 3, n. 1, p. 38-48, 2013.

MERLO, A. R. C. Psicodinâmica do trabalho. Saúde mental e trabalho: leituras, p. 130-142, 2002.

MERLO, A. R. C.; LAPIS, N. L. A saúde e os processos de trabalho no capitalismo: reflexões na interface da psicodinâmica do trabalho e da sociologia do trabalho. Revista Psicologia e Sociedade. [S.l], v. 19. n. 1. p. 61-68. jan/abr, 2007.

OLIVEIRA, N, J; MENDES, M, A. Sofrimento Psíquico e Estratégias Defensivas Utilizadas por Desempregados: Contribuições da Psicodinâmica do Trabalho. Temas em Psicologia, Vol. 22, n. 2, 389-399, 2014.

SANTOS, C, R, A; PRADO, J. O sofrimento no trabalho e seu impacto na subjetividade. Revista de iniciação científica da fama. V.2, 2017.

SENNETT, R. A corrosão do caráter: as consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. 6. ed. Tradução de Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Record, 2002.

TAYLOR, F. W. Princípios da administração científica. 8 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

TRINDADE, F. E. Administração científica de Taylor e as “novas formas” de organização do trabalho: possibilidades de coexistência? Um estudo de caso na indústria têxtil catarinense. 2004, 213f. Dissertação (Mestrado em administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis -SC, 2004.




DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944.2018.v4i1.2262

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN: 2447-3944

 Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Ensino Superior está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores

DOAJ.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png  
  REDIB  Diadorim.jpg
     
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png