O imperativo da inovação e a constituição da docência inovadora

Daniela Pederiva Pensin

Resumo


O texto parte do entendimento de que discursos constituem e legitimam formas autorizadas de docência. Assim, imersa nos jogos de verdade deste tempo, a docência na educação superior impõe-se à inovação como condição à sua presença no verdadeiro. Constitui-se objetivo deste texto incitar o estranhamento e a problematização frente ao crescente fenômeno da neofilia, do culto ao novo, da obsessão pelo novo revelada por meio de palavras de ordem: mudança, criatividade, flexibilidade, tecnologia, empreendedorismo e, claro, inovação. Construído sobre uma abordagem inspirada nos estudos foucaultianos e fazendo uso do discurso como conceito teórico-metodológico o texto mobiliza argumentos em torno da noção de inovação e a coloca articulada ao movimento de empresariamento da educação superior. São apresentados também posicionamentos e resistências de educadores e pesquisadores filiados às produções da Pedagogia Universitária, considerados indicativos de possibilidades de rotas de fuga. Por fim, retomando o conceito teórico-metodológico do discurso, o texto chama a atenção para a inexistência de vida fora desta atmosfera, alerta para a constituição de uma docência singular, orientada por uma noção igualmente singular de inovação situada neste mundo no qual nos encontramos todos. O texto encerra destacando que a desnaturalização, o estranhamento e a problematização diante do imperativo da inovação seguem necessários uma vez que esta lógica utilitarista, pragmática, reducionista e filiada à racionalidade neoliberal opera como uma vontade de verdade que exerce sobre a docência um poder de coerção e não deixa ver a vontade que a faz ser.

Palavras-chave


Educação superior; Inovação; Docência

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BEHRENS, M. A. A prática pedagógica e o desafio do paradigma emergente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 80, n. 196, p. 383-403, 1999.

BERAZA, M. A. Z. Innovación en la enseñanza universitaria: el proceso de convergencia hacia un Espacio Europeo de Educación Superior. Revista Educação, v. 31, n. 3, p. 199-209, 2008.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei 9394, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf >. Acesso em: 11 mai. 2014.

CUNHA, M. I. O professor universitário na transição de paradigmas. 2. ed. Araraquara: Junqueira & Martins Editores, 2005.

CUNHA, M. I. Pedagogia Universitária. In: MOROSINI, M. C. (Org). Enciclopédia de Pedagogia Universitária: Glossário. v. 2. Porto Alegre: INEP/RIES, 2006.

FISCHER, R. M. B. A análise do discurso: para além de palavras e coisas. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, 18-37, 1995. Disponível em: < http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71741 >. Acesso em: 3 jun. 2017.

FONTENELLE, I. A. Para uma crítica ao discurso da inovação: saber e controle no capitalismo do conhecimento. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 1, p. 100-8, 2012.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Aula inaugural no College de France pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 22. ed. São Paulo: Loyola. 2012.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. Uma arqueologia das ciências humanas. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

GIACOMONI, M. P.; VARGAS, A. Z. Foucault, a arqueologia do saber e a formação discursiva. Revista Veredas, v. 14, n. 2, p.119-129, 2010. Disponível em: < http://www.ufjf.br/revistaveredas/edicoes/2010-2/volume-14-n/ >. Acesso em: 30 jun. 2015.

LEITE, D. Pedagogia Universitária. In: MOROSINI, M. C. (Org.). Enciclopédia de Pedagogia Universitária: Glossário. v. 2. Porto Alegre: INEP/RIES, 2006.

LUCARELLI, E. Pedagogia universitária e inovação. In: CUNHA, M. I. (Org.). Reflexões e práticas em pedagogia universitária. São Paulo: Papirus. 2007. p. 75-91.

MOROSINI, M. I. Enciclopédia de Pedagogia Universitária: Glossário. v. 2. Porto Alegre: INEP/RIES, 2006.

PENSIN, D. P. Agenciamento e docência na educação superior. São Leopoldo: Unisinos, 2017. 204f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2017.

VEIGA-NETO, A. Estar preparado. Apontamentos para pensar a universidade. In: MACIEL, A. M. R.; FREITAS, D. S.; CORRÊA, G.; WIELEWICKI, H. G.; MACIEL, V. S. Universidade hoje: O Que Ainda Precisa Ser Dito? Santa Maria: UFSM, 2012.

ZANCHET, B. M. B. A.; CUNHA, M. I. Políticas da educação superior e inovações educativas na sala de aula universitária. In: CUNHA, M. I. (Org.). Reflexões e práticas em pedagogia universitária. São Paulo: Papirus, 2007. p. 179-192.




DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944.2017.v3i4.2208

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN: 2447-3944

 Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Ensino Superior está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores

DOAJ.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png  
  REDIB  Diadorim.jpg
     
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png