Práticas pedagógicas no ensino superior brasileiro: uma revisão cienciométrica

André Vinícius Valuz Souza, Karina Keyla Tondato, Viviane Barros Maciel

Resumo


Empregando a cienciometria como ferramenta quantitativa da ciência, o objetivo deste trabalho foi analisar a variação temporal no número de publicações e verificar as principais regiões brasileiras, instituições de ensino e subáreas de conhecimento utilizadas na produção científica com práticas pedagógicas no ensino superior brasileiro. Além disso, os resultados irão auxiliar na observação de áreas científicas com produção emergentes ou crescentes, subsidiando futuras pesquisas para melhorias no ensino superior. Os dados utilizados neste estudo foram coletados na base SciVerseScopus, empregando-se o termo “práticas pedagógicas” e “ensino superior”. Foram utilizadas inspeções gráficas e testes do Qui-quadrado (X2) para avaliar se o número de artigos publicados difere significativamente entre as regiões, áreas, principais subáreas e instituições. Foi observada diferença significativa no número de artigos publicados entre as regiões brasileiras, áreas de conhecimento, principais subáreas e instituições de ensino entre 1999 e outubro de 2015. Ao todo foram encontrados 124 artigos em 68 periódicos, com a maior parte dos artigos (46%) registrados na área de Ciências Sociais e subárea da Pedagogia (31%). Um total de 61 instituições desenvolveram pesquisas, com destaque para USP, UFSC e UFBA, que juntas foram responsáveis por manterem 25% das publicações. A região sudeste concentrou 54% das publicações, seguidos pela região Sul e Nordeste. As pesquisas tiveram início em 1999, porém, somente a partir de 2007 apresentaram crescimento exponencial significativo. Apesar do crescente aumento temporal no número de publicações que envolvem pesquisas com práticas pedagógicas no ensino superior brasileiro, os resultados demonstraram uma baixa produção científica, além de variação no número de publicações entre as diversas áreas de conhecimento, instituições e regiões brasileiras. Portanto, os resultados sugerem a necessidade de contínuo aumento e melhor distribuição de investimento nacional em pesquisas científicas, ampliando informações nas diversas áreas de ensino e instituições, o que subsidiará melhorias na qualidade do ensino.

Palavras-chave


Educação superior; Produção científica; Práticas pedagógicas

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Tecnologias e Currículo: trajetórias convergentes ou divergentes? Coleção Questões Fundamentais da Educação, São Paulo: Paulus, 2011. 96 p.

BITTENCOURT, L. A. F.; PAULA, A. Análise cienciométrica de produção científica em Unidades de Conservação Federais do Brasil. Enciclopédia biosfera, v. 8, n. 14; p. 1-11, 2012.

BRASIL. Decreto n. 5.622, de 19 de Dezembro de 2005: regulamenta o art. 80 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D56 22.htm >. Acesso em: 09 out. 2016.

CAMARGO, J. C. Padrões ecológicos da comunidade de protozoários flagelados (Protista: Mastigophora) no plâncton de um sistema rio-planície de inundação tropical. 2013. 118f. Tese (Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Núcleo de Pesquisas em Limnologia Ictiologia e Aquicultura, Universidade Estadual de Maringá, 2014.

CARVALHO, Y. M.; MANOEL, E. J. O livro como indicador da produção intelectual na grande área da saúde. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 29, n. 1, p. 61-73, 2007.

COUTO, E. V.; BONIFÁCIO, C. M. Análise cienciométrica temporal com referência aos Modelos Digitais de Elevação – MDE: importância e tendências. Revista GEOMAE, v. 2 n. 2, p. 69-84, 2011.

FANTIN-CRUZ, I.; CAMARGO, J. C. Estudo cienciométrico sobre a docência no ensino superior no Brasil. Espacios, v. 36, n. 6, p. 1-13, 2015.

FERREIRA, R. B.; NABOUT, J. C.; BORGES NETO, A. C.; SOUZA, F. F. J.; CAETANO, J. M.; TEIXEIRA, I. R. Tendências na literatura científica global sobre o biodiesel: uma análise cienciométrica. I Congresso de Pesquisa e Pós-Graduação do Câmpus Rio Verde do IFGoiano. 2012.

LOLIS, S. F.; SANCHES-MARQUES, A. M. M.; ARRUDA REIS, S. R., BENEDITO, E. Scientometric analysis of energetic ecology: primary production of aquatic macrophytes. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 31, n. 4, p. 363-369, 2009.

LUTZ, C. ARAGÓN, R. A mudança de concepção sobre a formação a formação a distância: a visão de estudantes do projeto PEAD. Revista Renote, v. 11, n. 2, p. 1-14, 2013.

MACIAS-CHAPULA, C. A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 134-140, 1998.

OKUBO, Y. Bibliometric indicators and analysis of research systems: methods and examples. Paris: OCDE/GD, 1997. 71 p.

REIS, L. M.; SILVA, R. E.; RODRIGUES, F. W. Influência do DNA mitocondrial no glaucoma primário de ângulo aberto sob a visão da cienciometria. Revista Brasileira Oftalmologia, v. 72, n. 5, p. 301-306, 2013.

ROUSSEAU, R. Indicadores bibliométricos e econométricos para a avaliação de instituições científicas. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 149-158, 1998.

SPINAK, E. Indicadores cienciometricos. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 141-148, 1998.

VANTI, N. A. P. Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência Informática, v. 31, n. 2, p. 151-162, 2002.

VEERBEK, A. Measuring progress and evolution in science and technology – the multiple uses of bibliometric indicators. International Journal of Manag. Review, v. 4, n. 2, p. 179-211, 2002.

YAMAMOTO, O. H.; SOUZA, C. C.; YAMAMOTO, M. E. A produção científica na psicologia: uma análise dos periódicos brasileiros no período 1990-1997. Psicologia Reflexão e Crítica, v. 12, 1999.




DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944/rebes.v2n4p7-14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN: 2447-3944

 Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Ensino Superior está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores

DOAJ.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png  
  REDIB  Diadorim.jpg
     
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png