Faculdade de ciências políticas e econômicas, RS: ensino superior e alterações do cotidiano da cidade do Rio Grande

Patrícia Weiduschadt, Ademir Cavalheiro Caetano

Resumo


Este artigo tem como objetivo estudar aspectos históricos da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande (RS) no recorte temporal de 1959 a 1969. Abordaremos a forma como foi instituída, construída e as contribuições que deu ao município no período que a economia local vivia em dificuldades. Apresentamos uma breve contextualização e com aporte em Pesavento (2007), abordaremos as alterações ocorridas na planta urbana da cidade e no “sensível” com a chegada das faculdades nesta cidade marítima. Especificamente enfocaremos os detalhes das primeiras instalações, o quadro de docentes, servidores e discentes, a forma de ingresso e de conclusão de curso. Ainda será tratada as particularidades da luta travada pela conquista do reconhecimento do curso, os elementos que constituíram a cultura escolar na instituição, seus valores, suas práticas e a forma como inculcavam comportamentos. Podemos compreender a contribuição da instituição para o desenvolvimento local, atendendo assim uma das finalidades para as quais foi criada. Reforçamos que a instituição teve importância para o município e conseguiu se fortalecer através do apoio das lideranças locais, representadas por indivíduos que podem ser considerados “tipo ideal empreendedor” que conseguiram se articular à esfera nacional confluindo para a fundação da FURG.


Palavras-chave


História da educação; Ensino superior; Cultura escolar; Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas

Texto completo:

PDF

Referências


ATA nº 05 da Congregação os Professores da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande, de 4 de outubro de 1961. In: Livro de atas da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. Acervo da Universidade Federal de Rio Grande.

ATA nº 43 da Congregação os Professores da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. In: Livro de atas da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. Acervo da Universidade Federal de Rio Grande.

ATA nº 44 da Congregação os Professores da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande, de 27 de julho de 1965. In: Livro de atas da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. Acervo da Universidade Federal de Rio Grande.

ATA nº 57-A da Congregação os Professores da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande, de 11 de abril de 1967. In: Livro de atas da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. Acervo da Universidade Federal de Rio Grande.

BRASIL. Decreto Federal n° 43.563, de 24 de agosto de 1958. Concede autorização para funcionamento de curso.

CAETANO, A. C. Faculdade de ciências políticas e econômicas do Rio Grande, RS: constituição e influências para o desenvolvimento do município (1955 a 1969). 2016. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Pelotas.

CAETANO, A. C.; WEIDUSCHADT, P. Pesquisa nos acervos de instituição superior: primeiras aproximações da cultura escolar da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio Grande. Congresso Ibero-americano de Humanidades. Ciência e Educação: Perspectivas Contemporâneas. Criciúma, 2014.

CATÁLOGO GERAL 2013. Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Rio Grande: Editora e Gráfica da FURG, 2014.

DANTAS, J. A. M. Algumas Reflexões sobre o novo currículo dos cursos de Ciências Econômicas. Educação e Filosofia, v. 1, n. 2, p. 11-17, 1967.

DIAS. C. A. Grupo Focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Disponível em: < http://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/1255610/mod_resource/content/0/Tecnicade_coleta_deDados.pdf >. Acesso em: 18 nov. 2016.

FRAGO, A. V. Historia de la educación y historia cultural: posibilidades, problemas, cuestiones. Revista Brasileira de Educação, n. 0, p. 63-82, 1995.

JORNAL RIO GRANDE, Edição nº 47, p. 2, 26 jan. 1960.

JULIA, D. La culture scolaire comme objet historique, paedagogica historica. International journal of the history of education, Suppl. Series, v. 1, coord. NÓVOAS, A.; DEPAEPE, M.; JOHANNINGMEIER, E. V., 1995, p. 353-382.

MAGALHÃES, M. O. Engenharia, Rio Grande: história & algumas histórias. Pelotas: Ed. Armazém Literário, 1997.

MARTES, A. C. B. Weber e Schumpeter. A ação econômica do empreendedor. Revista de Economia Política, v. 30, n. 2, p. 254-270, 2010. Disponível em: < http://www.rep.org.br/PDF/118-5.PDF >. Acesso em: 02 ago. 2014.

MARTINS, S. F. Cidade do Rio Grande: industrialização e urbanidade (1873-1990). Rio Grande: Editora da Furg, 2008.

MEIHY, J. C. S. B. História oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

PEREIRA. L. C. B. Economia e administração: mercado e poder. Rev. Adm. Emp., v. 19, n. 4, p. 39-43, 1979.

PESAVENTO, S. J. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. Revista Brasileira de História, v. 27, n. 53, 2007.

PORTELLI, A. Tentando aprender um pouquinho. Algumas reflexões sobre a ética na História Oral. Proj. História, v. 15, 1997.

RIO GRANDE. Decreto Municipal nº 1448, de 04 de novembro de 1955. Dá provimento as cadeiras da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas.

RIO GRANDE. Lei Municipal n.º 875 de 22 de julho de 1955. Cria a Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas.

SILVEIRA, J. A. Faculdade Católica de Filosofia de Rio Grande: os primeiros anos da formação docente no ensino superior da cidade (1960-1969). 2012. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Pelotas.

TEIXEIRA, V. B. Escola de Engenharia Industrial: a gênese do ensino superior na cidade do Rio Grande (1953-1961). 2013. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Pelotas.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Centauro, 2001.

WERLE. F. O. C. Ancorando quadros de formatura na história institucional. 28ª Reunião Anual da ANPED, MG, 2005.




DOI: https://doi.org/10.18256/2447-3944/rebes.v2n3p67-78

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN: 2447-3944

 Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Ensino Superior está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores

DOAJ.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png  
  REDIB  Diadorim.jpg
     
logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png