Mandíbulas Edêntulas severamente reabsorvidas tratadas com implantes curtos – apresentação de 4 casos clínicos e controle de 30 a 36 meses

Rafael Manfro, Marcelo Carlos Bortoluzzi, Luciano Melo Pratto, Vinícius Fabris, Rodrigo Cecconello, Adgar Zeferino Bitencourt

Resumo


As atrofias severas da mandíbula apresentam grande dificuldade de tratamento, seja através de próteses convencionais, seja por próteses implanto-suportadas. Várias técnicas são descritas para o aumento vertical do rebordo ósseo. Todas apresentam alta morbidade, dificuldade técnica e prognóstico duvidoso. Os implantes curtos apresentam uma solução mais simples, menos mórbida e atualmente apresentam prognóstico semelhante aos de tamanho convencional. O objetivo deste trabalho é apresentar 4 casos consecutivos de mandíbulas severamente reabsorvidas e tratadas com implantes de 7,5 a 10mm de comprimento e próteses tipo protocolo. Neste casos foram instalados 12 implantes sendo que apenas um não apresentou sucesso sendo substituído por outro implante instalado em carga imediata. Estes casos foram acompanhados por 30 a 36 meses não havendo nenhuma perda de implante após a instalação das próteses e havendo uma perda óssea perimplantar média de 0,71mm. Os casos apresentados mostram que o tratamento com 4 implantes de tamanho reduzido retendo prótese tipo protocolo são uma boa opção para o tratamento das mandíbuals atróficas.


Palavras-chave


mandíbula severamente reabsorvida; implantes dentários; implantes curtos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2238-510X/j.oralinvestigations.v2n1p10-16

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Journal of Oral Investigations - JOI (ISSN 2238-510X)
Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br
Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Cruzeiro, 99070-220 – Passo Fundo - RS - Brasil 
Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Indexadores

 Diadorim.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png