Ateroma de carótida: uma revisão de literatura

Maite Michel Piazza Willig, Caroline Solda

Resumo


O acidente vascular cerebral (AVC) é a principal causa de morte e sequelas em adultos no Brasil, sendo responsável por 10,7 milhões de internações no país e 80 mil óbitos por ano segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). O ateroma é uma doença que na maioria das vezes origina-se na região do pescoço, e é possível ser identificada pelo cirurgião dentista em radiografias panorâmicas, como placas ateromatosas calcificadas que aparecem como imagens radiopacas entre as vértebras C3 e C4. Se a radiografia panorâmica apresentar calcificações sugestivas de ateromas na carótida, deve-se encaminhar o paciente ao médico especialista para realizar o exame de ultrassonografia de Doppler, que é o exame de eleição para o correto diagnóstico do ateroma. Após a pesquisa, conclui-se que é imprescindível que o radiologista e os cirurgiões – dentistas estejam atentos à presença de radiopacidades nas radiografias odontológicas e tomografias computadorizadas, sabendo diferenciar o anatômico do patológico.


Palavras-chave


Aterosclerose. Radiografia Panorâmica. Odontologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-510X/j.oralinvestigations.v5n2p53-58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Journal of Oral Investigations - JOI (ISSN 2238-510X)
Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br
Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Cruzeiro, 99070-220 – Passo Fundo - RS - Brasil 
Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Indexadores

 Diadorim.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png