Cirurgiões-dentistas e faculdades no Brasil: repercussões sobre a prática odontológica

Mayla Prass Mathias, Ediane Casani, Sidimar Meira Sagaz, Deison Alencar Lucietto

Resumo


Objetivos: A profissão odontológica vem mudando ao longo dos tempos no país. Há a ideia que existe um grande contingente de cirurgiões-dentistas em associação a uma maior oferta de ensino. Este artigo teve como objetivo discutir a oferta de profissionais e faculdades de Odontologia, problematizando o uso de tais medidas. Métodos: Tratou-se de pesquisa descritiva com procedimentos de coleta bibliográfica e documental. Foram analisadas estatísticas oficiais para o período 2015/2016. Resultados: Constatou-se que há excessos de profissionais e de cursos no Brasil, embora com distribuições e características desiguais. Verificou-se que existem lacunas na forma de mensurar a proporção população/cirurgião-dentista. Conclusões: Estima-se que os avanços dos números podem impactar positivamente nas práticas odontológicas, uma vez que exigem inovação, diferenciação e geração de maior valor aos pacientes, em função do aumento da concorrência.

Palavras-chave


Odontologia. Cirurgiões-dentistas. Faculdades. População. Indicadores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2238-510X/j.oralinvestigations.v4n2p25-31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Journal of Oral Investigations - JOI (ISSN 2238-510X)
Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br
Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Cruzeiro, 99070-220 – Passo Fundo - RS - Brasil 
Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Indexadores

 Diadorim.jpg logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png